Fórum Sindical critica escalonamento salarial e cobra solução

Entidade quer reunião com o governador Mauro Menes e lamenta: "A história se repete"

Publicado em 09 de janeiro de 2019

Fórum Sindical critica escalonamento salarial e cobra solução

Foto: Alair Ribeiro/MidiaNews

O Fórum Sindical - entidade que representa o funcionalismo público do Estado - criticou, por meio de nota, o escalonamento dos salários do mês de dezembro a serem pagos em janeiro, medida anunciada pelo governador Mauro Mendes (DEM) nessa sexta-feira (4). Os vencimentos que serão parcelados referem-se ao último mês da gestão Taques.

  

A entidade acusa Mendes de “usar as mesmas táticas” do ex-governador Pedro Taques (PSDB) – de dialogar com as categoria via imprensa – e defende que a folha de pagamento dos servidores não é a principal causa para a crise financeira vivenciada pelo Estado. 

 

“É lamentável como a história se repete. Primeiro como tragédia e depois como farsa. Essa nota emitida pelo Governo Mendes, no seu quarto dia de governo, soa como o calote que anunciou o Governo Taques em 2016, pouco antes da maior greve da história de Mato Grosso”, pontuou a nota.

 

Os representantes do Fórum se reuniram na manhã deste sábado (5) e devem se encontrar novamente na segunda-feira (7), a fim de discutir as ações que serão desencadeadas em decorrência tanto do escalonamento anunciado quanto no atraso no pagamento do 13º dos servidores nascidos em novembro e dezembro e dos comissionados – que deveriam ter sido quitados no mês passado. 

 

“O Estado de Mato Grosso tem praticado a perversão de quebra de isonomia dos servidores dos Poderes Constitucionais, pois, enquanto os outros Poderes gozam do privilégio da autonomia com duodécimos mais altos do Brasil, pagam salários e benefícios exclusivos, fazem investimentos e, até devolvem recursos; os servidores do Poder Executivo, responsáveis pela implementação de Políticas Públicas, pagam a conta com seus salários”, afirmam os sindicalistas. 

 

Ainda na nota, os servidores cobram de Mendes o cumprimento de promessas de campanha e afirmam que toda a sociedade perde com o não pagamento em dia dos servidores.

 

“Toda sociedade de Mato Grosso perde com a decisão de atrasar salário dos servidores: perde o comércio que deixa de receber, perde o setor de serviços, turismo, a economia informal, etc. Apenas quem ganha com isso são os bancos, onde a maioria se socorrerá com empréstimos e pagamentos de juros extorsivos, o que por vezes nos parece que seja o esperado pelos governantes de plantão”, diz trecho da nota.

 

Arrecadação e sonegação

 

O Fórum ainda criticou, no documento, a “inércia” do ex-governador Pedro Taques diante da suposta sonegação de R$ 2,5 bilhões apontada pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) montada pela Assembleia Legislativa.

 

Além disso, a entidade afirma que Mato Grosso não sofreu queda em sua arrecadação anual, “de modo que só neste ano de 2018, entraram nos caixas do Estado R$ 3.331 bilhões a mais que em 2017”.

 

Os sindicalistas ressaltam, ainda, que nos últimos quatro anos, o número de incentivos e renúncias fiscais triplicaram no Estado, “sem qualquer efetividade no aumento do número de empregos formais pelos beneficiários ou cumprimento de quaisquer outras contrapartidas devidas”.

 

Confira AQUI a íntegra da nota encaminhada pelo Fórum Sindical. 

Fonte: MidiaNews